Home office com crianças em casa: como lidar?

Montamos um guia de sobrevivência para pais que começaram a trabalhar de casa

 

A Husky é uma fintech 100% remota que torna invisível a burocracia financeira para quem trabalha à distância. Então, quando o assunto é Trabalho Remoto, temos muitas dicas para tornar a experiência (ainda) melhor. Sim, mesmo para quem tem filhos. 😉

Por isso, nesse texto a gente vai falar diretamente com você, que tem achado que a presença das crianças causou uma possível queda na sua produtividade. Ou pior: que tem se culpado por provavelmente não estar conseguindo desempenhar bem nenhum dos papéis, nem de pai/mãe, nem de profissional. Mas já adiantamos: é possível trabalhar bem de casa, ser presente na vida dos filhos e ainda aproveitar os inúmeros benefícios do home office. 

Para facilitar, a gente separou o conteúdo em três capítulos:  

 

  1. Como trabalhar de casa quando se tem filhos? 
  2. Quais atividades em família podemos propor?
  3. Quais recursos online podem ajudar?

 

Baixe o app da Husky e receba seus pagamentos do exterior sem burocracia e sem sair de casa: Iphone e Android

1. Como trabalhar de casa quando se tem filhos? 

Avise seu time sobre seus filhos

Não adianta querer simular um escritório em casa, muito menos uma sala de reunião. É importante avisar que você tem crianças e que, portanto, interrupções em calls podem acontecer. Isso evita surpresas e constrangimento, né? Ser transparente sempre é a melhor opção nessas horas. 

Não tenha vergonha de pedir ajuda se tiver a quem pedir

Se houver alguém que possa dividir o tempo com as crianças, peça ajuda. Um filho mais velho, os avós, uma tia… quem sabe? Isso pode tirar a pressão constante de estar atento(a) às crianças. 

Sobretudo, crie uma rotina para eles

Assim como no dia a dia escolar, é importante ter uma agenda, com tarefas bem distribuídas ao longo do dia. É bom que ela seja completa, com a hora da brincadeira, o momento de descanso, o tempo de estudo, o almoço, o banho, etc. Quanto mais detalhada for a agenda (que precisa estar num lugar visível para todos da casa), melhor! Pois sua mente poderá se ocupar com outras coisas além de ficar pensando/lembrando o que deve ser feito naquele momento. 

Pense em atividades que seus filhos possam executar sozinhos

Atividades seguras, fáceis e que tomam tempo: essas são suas maiores aliadas. Quebra-cabeças, campeonato de caça-palavras, video-games e resumo de livros são algumas das possibilidades. Mas seremos mais específicos nas sugestões nos próximos capítulos. 

Mais do que ter uma cadeira confortável e um monitor extra: os headphones certos!

Muito se fala sobre investir numa cadeira confortável para trabalhar ou uma estação de trabalho completa, com duas ou mais telas. Mas, uma vez que existem muitas pessoas que estão trabalhando de casa temporariamente, o melhor investimento inicial é um headphone bom! Daqueles que isolam o som exterior e possuem um microfone que reduz ruídos, sabe? Ele pode ser usado em casa, isolando o barulho das crianças, ou no escritório, ajudando na concentração. Um investimento curinga para qualquer regime de trabalho.

Envolva as crianças nas tarefas domésticas, quando possível

Se elas já tiverem idade suficiente, por que não desafiá-las a cozinhar alguma coisa, nem que seja um arroz? Ou pedir para levar o lixo para fora? O importante é não fazer disso puramente uma ordem. Faça com que elas se sintam também responsáveis pelo lar. Fale que confia nelas. E que elas estão “crescendo” – elas adoram ouvir isso. 

Pare de se culpar por sua produtividade

Mesmo quando as crianças estão ocupadas e você está em silêncio, numa sala, pode parecer que as coisas não estão fluindo, principalmente se trabalhar de casa for uma novidade para você. É difícil se concentrar, a procrastinação acontece e, de repente, você está olhando para o nada há 30 minutos. Mas isso não significa que o trabalho remoto não é pra você – pelo contrário, significa que seu cérebro está trabalhando normalmente. É assim que ele funciona: quando somos colocados diante de um novo ambiente ou grupo, precisamos construir novas conexões neuronais para nos adaptar. Apenas continue a trabalhar e acredite: depois melhora.

A agenda não é só das crianças, é sua também

Sem saber quando e como trabalhar, as coisas só pioram. Você gasta energia pensando quando deve fazer isso ou aquilo, enquanto poderia focar no que realmente importa: produzindo. “Ah, mas eu sou ocupado(a) demais pra fazer a minha agenda diariamente”. Sim, você é muito ocupado, mas se passar a enxergar a produção dessa agenda como mais uma das suas tantas tarefas, prometemos que ficará ainda mais fácil realizar todas elas. 

Pense no home office como um projeto complexo, envolvendo a gestão de um time. No caso, o time é composto apenas por você (e as crianças). Aposto que quando você está num trabalho em equipe, prefere alinhar os planos de ação antes de sair executando, né? Então, não tem truque! Só aplicar a mesma lógica. 

Não deduza emoções, investigue-as

Quando estamos numa sala de reunião com alguém, fica mais fácil de perceber o estado emocional dessa pessoa: seja pelas expressões, pelos gestos, pela vestimenta ou pela respiração. Através de uma tela de computador, muita coisa se perde! E às vezes, podemos ter muitos mal-entendidos, por deduzirmos um tom equivocado. Por isso, a dica que a gente dá é: proponha diálogos sobre outros assuntos. Sobre o que ela está achando do trabalho. Converse e ouça.

Troque a saudade por comemoração

Quando somos forçados a mudar, sempre ficamos pensando em todas as coisas boas do passado. “Poxa, era tão mais rápido ir até a mesa daquele cara”, “saudades dos cafézinhos”, “preciso ver gente, pelo amor de deeeeeus“. Mas e todo o resto? E aquele trânsito infernal? E o dia em que você estava pronto pra sair e derramou café na camisa? E a comida daquele restaurante que você já não aguentava mais? E a fila do elevador? Poxa, se colocar na ponta do lápis, você ainda está no lucro, hein? 

2. Atividades para as crianças no home office 

Quem é o chef? 

Desafie as crianças a cozinhar algo novo, usando apenas os ingredientes e recipientes que estão na mesa. Ou descubra, ao lado delas, como fazer receitas que você nunca tinha feito antes e que elas vão amar depois: um sorvete, um sushi, cookies, pizzas, etc. Se você tiver algum pet, ele pode ser o grande contemplado da brincadeira.

Se jogue! 

Deixe as crianças experimentarem suas roupas. Prepare uma garrafa pet de 2L com detergente e água, pra fazer bolhas de sabão. Desafiem-se a usar a mão não dominante para escrever, escovar os dentes ou para brincar de braço de ferro. Finja que o chão é uma areia movediça e pule com elas de sofá em sofá, poltrona em poltrona. Brinque de estátua ou de câmera-lenta. Desafie as crianças a te copiarem trabalhando: que elas desenhem ou encenem isso. Prepare uma pipoca e maratone os filmes favoritos delas.  Você também pode esconder um objeto e desafiar seus filhos a encontrá-lo. Enfim, não tenha medo da bagunça. A hora é agora! 

Proporcione um ateliê

Compre argila, papelões, papéis, pincéis e tintas laváveis. Pétalas e recortes de revistas também são bem-vindos. Deixe a criatividade fluir. Mas se sentir que as crianças estão curtindo, contribua com a arte delas: monte uma casinha com papelão e deixe-as colorir. 

Mantenham-se unidos 

Banque o jornalista e proponha entrevistas. Basta montar um roteiro de perguntas e dar para seus filhos, incentivando-os a ligar para os parentes e entrevistá-los. Isso pode até ajudar a criar uma árvore genealógica. Façam uma listas das coisas pelas quais são gratos. Faça muitas chamadas de vídeo. E conversem bastante. 

É hora do show! 

Monte um karaokê: é só procurar uma música no YouTube com a palavra “karaokê” que provavelmente vai achar algumas opções. Brinque com um jogo de luzes, toque uma música e simule uma festinha. Encoraje as crianças a improvisarem cenas de teatro: cena no ônibus! Cena na escola!

Leitura e escrita, sim, por favor. 

Apesar de muitas crianças terem uma certa aversão a livros, ler algumas histórias para elas é uma boa forma de introduzi-las ao hábito. Escrevam uma história juntos, naquele esquema de “complete a frase”. Você começa com “era uma vez um coelho que…” e deixa a criança completar. 

Crie competições

“Quantas palavras você consegue falar ou escrever em um minuto?” e “Quantas voltas na casa você consegue dar em 5 minutos?” são alguns exemplos básicos de desafios. Aliás, brincadeiras com rimas também podem ser bem divertidas. 

Seja lúdico

Aqui a palavra é criatividade. Então, apague todas as luzes, dê lanternas às crianças e finja que estão explorando uma caverna. Imprima um template de “procurado” do pinterest, cole a foto de alguém e brinque de faroeste. Faça um “acampadentro”, montando uma barraca com cobertas e cadeiras, simulando a ausência da cozinha, por exemplo. 

Explore o mundo exterior (sem se expor ao risco)

Se você tem um jardim em casa, plante alguma árvore ou flor. Se tem uma laje ou janela com boa vista, deixe as crianças brincar com os binóculos (e finja estar vendo alguma coisa inusitada). Se você tem um quintal em casa ou mora numa rua pouco movimentada, organize guerra de bexigas d’água. Faça um picnic na sacada ou no quintal. Pule cordas: se puder amarrar uma corda maior num pilar e ficar batendo a corda pra elas, melhor ainda. Use giz para desenhar uma amarelinha. Lembre da sua infância.

3. Atividades infantis online para ajudar os pais no home office

Quando você não puder participar da brincadeira, a tecnologia pode fazer isso por você. Por isso, separamos uma lista de recursos que podem te ajudar a entreter as crianças enquanto você se ocupa com outra coisa. Mas antes de tudo, recomendamos dar uma lida nessas 5 dicas para proteger as crianças online

  • O PlayKids

    É um app que conta com séries, desenhos, livros e jogos educativos para crianças de diversas idades. Há vídeos que sugerem atividades pra eles colocarem a mão na massa, enquanto os jogos e livros prendem a atenção das crianças. Ele possui temas como: alfabetização, música, meditação e ciência. 

  • Já o Papumba…

    é indicado para crianças com 2 a 6 anos, onde dá pra aprender sobre animais, alfabeto, música e até outros idiomas. 

  • O Crocro Adventure …

    deixa crianças de até 12 anos conseguem aprender lógica de programação a partir de desafios propostos pelo jogo. Mas o melhor é que a cada etapa, as atividades vão ficando mais difíceis, estimulando o raciocínio lógico. 

  • Dino Tim

    Atende crianças de várias idades, pois pode ajudá-las a aprender tanto as primeiras letras de palavras até novos idiomas.

  • O Arqueólogo

    É o app das crianças que curtem explorar! Com essa temática, elas podem aprender sobre dinossauros e montar quebra-cabeças. Para Android e iOS

Tem também o Youtube Kids: é a versão do maior site de vídeos do mundo adaptada para crianças. Clipes musicais, vídeos educativos e personagens famosos fazem a alegria de crianças até 10 anos. Para Android e iOS.

Por fim, o importante é parar de encontrar culpados. O Home Office pode ser novidade, mas não são de hoje as inúmeras formas de curtir a vida e a família, sem atrapalhar o trabalho. 

E então, já se preparou para aproveitar o melhor que o home office pode oferecer?

Baixe o app da Husky e receba seus pagamentos do exterior sem burocracia e sem sair de casa: Iphone e Android