6 desafios do freelancer no exterior

Se você está pensando em ser freelancer no exterior, mas não sabe muito bem o que vai encontrar, separamos uma lista com os seis principais desafios do mercado lá fora.

A boa notícia é que se você está buscando informações, já está um passo à frente dos demais que vão com a cara e a coragem, sem entender como funcionam as regras e procedimentos para ser freelancer no exterior.

O preparo para encarar esse desafio é essencial e, seguindo algumas dicas básicas, o trabalho em outro país acaba sendo divertido e produtivo. Se resultado financeiro e satisfação estão em sua lista de prioridades, saiba quais são os principais desafios que você pode enfrentar e prepare-se!

1 – Comunicação

A comunicação é essencial para que o trabalho seja feito de forma eficiente. Isso vale para todas as situações, tanto para o caso de você estar fora do Brasil e pegar um job nacional quanto para estar em solo brasileiro e ter um cliente de fora.

Desta forma, é preciso pesquisar ferramentas que permitam o contato mais próximo com o cliente. As chamadas de vídeo, por exemplo, viabilizam trabalhos freelancer a distância. Por isso, pesquise as empresas que oferecem esse serviço com as funcionalidades que você precisa.

Outro grande desafio na comunicação é o idioma. Mesmo que você esteja no mesmo país que seu cliente, é possível que você tenha problemas caso não esteja familiarizado com o idioma falado por ele. Por isso, invista em conhecimento específico e vocabulário voltado para sua área de atuação. Desta forma, a sintonia será perfeita.

2 – Pagamento

Quando você está trabalhando com outra moeda, é preciso prestar muita atenção nas taxas que são cobradas, na conversão e onde depositar o seu dinheiro para que não haja nenhuma perda significativa.

Faça uma busca e defina qual a melhor forma de lidar com o dinheiro que você vai receber. Em seguida, combine com o cliente como o pagamento pode ser feito de maneira que ninguém saia prejudicado.

3 – Conhecimento

Para ser um freelancer no exterior, é recomendado dominar alguma área para atuar no novo mercado. Lembrando que não basta apenas ser bom em um segundo ou terceiro idioma, também é necessário saber utilizá-lo para o seu trabalho. Neste caso, se você é programador, por exemplo, além de falar inglês ou espanhol, é essencial que você domine pelo menos uma linguagem de programação e um framework.

Caso você ainda não esteja atuando na área que deseja trabalhar no exterior e está com um pouco de pressa, recomendamos que faça alguns cursos intensivos e especializações antes de ir. Programadores geralmente procuram por cursos para criar sites e sistemas por meio de linguagens e frameworks como Laravel, HTML, PHP e tudo o que for necessário para se tornar um Desenvolvedor Full Stack

4 – Organização

Ser freelancer no exterior ou mesmo no Brasil exige uma organização exímia. Isso porque não haverá ninguém dizendo quando, como e onde fazer o seu trabalho. Contudo, no prazo determinado, o cliente vai esperar o produto ou serviço que solicitou a você.

Desta forma, é preciso ter organização financeira, para que você consiga fazer os investimentos necessários e consiga sempre dar continuidade ao seu trabalho. Outro ponto em que é preciso se organizar é sobre o seu ambiente de trabalho: garanta que a internet funcione ou a sala onde você vai trabalhar esteja disponível. E ainda que tudo funcione, é muito importante que você sempre tenha em mente um plano b.

Por fim, mas não menos importante, é preciso que você saiba gerenciar o seu tempo para dar conta de toda a demanda. Cumprir prazos é essencial no trabalho freelancer, assim como manter a qualidade do produto ou serviço entregues. Em alguns casos, é recomendado até mesmo buscar ferramentas de gerenciamento de tempo

5 – Concorrência

Ao trabalhar como freelancer no exterior, é preciso lembrar que você vai concorrer com nativos. Contudo, essa informação não é trazida à tona para aumentar a pressão sobre você, muito pelo contrário. Com a preparação necessária e com um portfólio para comprovar sua experiência, você não precisará se preocupar com a concorrência.

Lembre-se também que com muita pesquisa e, até mesmo uma conversa com quem já atua no exterior na mesma área que você almeja, você pode pegar algumas dicas sobre os conhecimentos e experiências necessárias.

6 – Diferenças

Outro desafio que muitas vezes aparece no caminho de quem atua como freelancer no exterior está nas diferenças ao atuar com um cliente de outro país. Além do idioma, outros aspectos precisam ser notados para evitar problemas.

Aspectos culturais podem influenciar na forma em que você se comunica com o cliente, toma decisões, administra seu trabalho e define prioridades. Portanto, é importante conhecer e respeitar a cultura do outro país.

Tenha sempre atenção com a diferença no fuso horário, para evitar entregas atrasadas ou faltas em reuniões agendadas por conta de uma possível confusão.

Outra grande diferença, que deve ser notada, está na legislação vigente no país. Procure saber tudo o que você é obrigado a fazer e precisa evitar ao trabalhar como freelancer no exterior, antes de fechar o negócio.

Seguindo estas dicas, a chance de ser um freelancer de sucesso é ainda maior!

 

Este conteúdo foi produzido em parceria com Digital House:

Hub de educação e tecnologia para formação de profissionais de alta performance.

Não perca dinheiro, baixe o aplicativo agora!